NOTÍCIA ABERTA
  • Pesquise aqui
Projeto Sirius

O Projeto Sírius
O projeto Sírius é a infraestrutura científica mais complexa da história brasileira, com um terreno de 06 hectares em Campinas, terá capacidade de realizar com detalhamento único, análises de propriedades de materiais biológicos e sintéticos, permitindo inovação e descobertas. 
Com inauguração prevista para 2019, o Sirius, que pertence ao Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) e é gerenciado pelo Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, é considerado o mais avançado do mundo em sua categoria, o acelerador de partículas do tipo sincroton conta com uma infraestrutura de ponta e pode ser utilizado para que indústrias possam crescer, inovar e criar produtos e serviços de valor agregado, que alavancam por sua vez a economia ao desenvolverem o país como um todo.
Com valor estimado em R$ 1,8 bilhão e custeado pelo governo federal, o projeto começou a ser discutido em 2009 e hoje envolve cerca de 250 profissionais em tempo integral.
Como funciona
Mediante a aceleração, a matéria passa por um campo magnético que a faz emitir um feixe de luz branca muito brilhante (O nome Sirius é de referência a estrela mais brilhante no céu), permitindo observar a matéria através da forma com que a luz foi absorvida, refratada ou espelhada, possibilitando através disto, a análise em escala atômica.
Com essas informações em mãos, é possível entender melhor como se estruturam os materiais que existem no mundo – e, frequentemente, como aprimorá-los.

Aplicação Vibtech
Vibtech trabalhou neste projeto de grande expressão fornecendo Vibro Amortecedores de 1,8 a 2,2 Hz a base de molas helicoidais, de baixa frequencia natural (2Hz - 60 mm de deflexão), com arruelas de apoio em elastômero (borracha natural), para filtrar as altas frequencias para os equipamentos de refrigeração, os Fancoils e Ventiladores através da  Empresa Heating Cooling. Foram fornecidos mais de 300 Vibroamortecedores Z2 da Linha VAC . O projeto de elevada precisão requereu nível de atenuação acima de 95% , visto a demanda por estabilidade dimensional dos aceleradores e linhas de luz, necessária para operar um feixe de elétrons com dimensões micrométricas e feixes de luz com foco na casa dos nanômetros.
Foram realizados estudos, uma vez que os equipamentos foram testados e aprovados para suportabilidade do Campo Magnético.